quarta-feira, julho 05, 2006

Praia (1)

.



.

Verão. As primeiras coisas que todos lhe associam: calor intenso, praias apinhadas, repouso ao sol, banhos de mar - enfim, os condimentos naturais de umas férias revigorantes.

Na praia, a brisa marítima tempera o ar sufocante. O retumbar cadenciado das ondas, que se despedem em carícias de espuma aos pés dos veraneantes, é quase hipnótico. As pegadas fortuitas, deixadas na areia húmida, intrigam pelo intricado mosaico sulcado nos vários sentidos e direcções.
Um par de namorados caminha ao longo da orla do mar e, em dado momento, apertam ambos com força as mãos do outro, parecendo esconjurar para longe, num gesto simples, os seus amuos sem sentido, as suas dúvidas momentâneas. O som das vagas parece possuir esse sortigélio: o de abafar pensamentos dissonantes, como pensar que nunca se é amado em demasia.
.

2 Comentários:


Anonymous papoila disse...

Verão...Praia...Praia!!!
É isso mesmo...
"...o de abafar pensamentos dissonantes, como pensar que nunca se é amado em demasia.."
Lindo!!!

05/07/06, 15:07  

Blogger Maria P. disse...

Olá Cláudio, a praia, o mar companhias fantásticas para os amores.

beijinho

05/07/06, 17:55  

Enviar um comentário