quinta-feira, julho 06, 2006

Praia (2)

.


(John Sloan, South Beach Bathers, 1907-08)

.

No seio de todo o caos que caracteriza a praia - especialmente se apinhada de gente -, não raras vezes os elementos se conjugam para criar momentos de perfeita harmonia. Basta prestar um pouco de atenção:
Corridas ofegantes de crianças que despendem energia por todos os poros, que se agarram virilmente e se derrubam uns aos outros. Outras que mergulham em covas escavadas na areia, que enchem baldes de areia e erguem castelos com torres altas e ameias, para no fim arremeterem, entoando gritos de investida selvática, contra a fortaleza recém-erguida, arrasando num segundo o esforço de horas.
Os primeiros jogos de amor dos adolescentes, que desviam o olhar na direcção das beldades que desfilam. E cada um deles quer crer que elas passam propositadamente para lhes espicaçar o desejo.
Corpos de todos os tamanhos e cores vagueiam aparentemente sem rumo, enquanto que outros repousam estendidos sobre as toalhas, ofertando-se ao jugo abrasador do sol. Pele bronzeada, queimada, ruborizada, untada de cremes, estende-se como um gigantesco tapete humano pronto a ser amassado.
E não podia faltar o mirone da praxe, apetrechado dos respectivos binóculos, sempre à coca do seio desnudo.
.

4 Comentários:


Anonymous papoila disse...

Muitas recordações boas da praia. Principalmente quando jovens "inconscientes"...
Esqueceu-se do fim da tarde, do pôr do sol...Ou haverá continuação? (praia 3...4...)
Nunca mais é Agosto!!!

06/07/06, 23:38  

Blogger Maria P. disse...

Que belo retrato.

beijinhos.

07/07/06, 11:46  

Blogger as velas ardem ate ao fim disse...

super giro este retrato da praia.e que e mm assim.gostei
bjos

07/07/06, 21:29  

Blogger Cláudio disse...

Papoila, o pôr-do-sol há-de chegar, o tema merece realmente um post.

Obrigado Maria e As Velas Ardem Até Ao Fim*.

* Gostei muito desse livro do Sándor Márai. Aconselho vivamente!

08/07/06, 04:31  

Enviar um comentário