terça-feira, setembro 05, 2006

Mais cedo ou mais tarde...

.
Desdobras-te na tua vida interior. Os sentimentos andam de repartição em repartição. Uma das quais, mais que todas as outras, toca-te fundo no peito. Mas cada qual com as suas especificidades e exigências. O que sentes vacila como o moço de recado plantado à porta e com pouco jeito nas lides de circunstância ou do fingimento, quando tal é requerido. A atenção prestada surge quase sempre à custa de sabe-se lá que esforços. Como não hás-de andar confuso com tamanha divisão? Sabes onde instintivamente te levariam as pernas se as deixasses de controlar, mas entre o que te refreia e o deixares-te ir vai uma grande distância: anos de vivência num certo sentido, o conforto, o comodismo, o pavor que te inspira o desnorte e a dor alheia, o medo da mudança. Todo o espectro de consequências da tua escolha. Da tua escolha irredutível – sabe-lo agora.
.

5 Comentários:


Anonymous Ana disse...

Vou passando...vou notando as modificações nalguns posts...vou lendo sempre com muito prazer.
Hoje, foi como que um auto-retrato. Não confuso, mas confusa....

05/09/06, 18:40  

Blogger Fábio disse...

Meu amigo, volto brevemente, depois de longa ausência..Desculpa-me se o meu ssilêncio te deixou supor algumas coisas infundadas. Porque é isso que são, infundadas. Vejo que escreves bem, talvez ainda melhor. Só um reparo: os caminhos irredutíveis já nem angústiam. Esse pode andar perto, mas se ainda pesa é modificável. Um grande abraço

05/09/06, 19:01  

Blogger Cláudio disse...

Olá Ana, gosto tanto de saber da atenção que dás às coisas que escrevo. Incentiva-me a fazer melhor, para merecer as tuas visitas. As tuas e as dos outros, claro... não quero ressentimentos com os meus outros leitores :)
Há dias assim, não é? Em que a confusão e a indecisão se instalam... em que temos de nos desdobrar nos mais diversos papéis... Não era propriamente de mim que falava neste post, mas às vezes também me sinto assim...
Beijinhos!


Olá Fábio, meu amigo. Tão bom saber que os meus receios eram infundados. Quanto a escrever bem, não sei o que te diga, além do meu embaraço... Irredutível é uma palavra que devia usar com mais cuidado. Afinal nesta vida tudo prima pela mudança e até as certezas podem deixar de o ser... Apesar da escrita ser muitas das vezes um acto que nasce de forma impulsiva e sem grande controlo, para a próxima terei mais cuidado na escolha das palavras... Abraço!

05/09/06, 23:00  

Blogger Maria P. disse...

Apesar do sentimento/estado confusão, descrito, sente-se a segurança da escrita.

Beijinhos

05/09/06, 23:29  

Blogger Cláudio disse...

Obrigado Maria pelas tuas palavras... Mas as dúvidas persistem... sempre insatisfeito com o que escrevo...

Beijinhos!

06/09/06, 19:07  

Enviar um comentário