sábado, junho 10, 2006

Pois é, já 27 aninhos e juizinho... nada!

.
.

1 - Um sósia meu... mas com evidente mau-gosto quanto ao vestir e com um penteado mais que duvidoso. Pontos em comum: a barba teimosamente por fazer; os óculos - objecto abominável que só uso para ler, ver TV, etc. É verdade que depois de operado andei uns dias com o nariz vendado e só a conseguir respirar pela boca (nunca mais chega a segunda-feira, dia de check-up), daí que a boca aberta seja mais um ponto que temos (temporariamente) em comum.
2 - Não foi preciso moto-serra. Obrigado mãezinha! O bolinho estava simplesmente delicioso!
.
P.S. Não vá haver confusões, quero acrescentar que entre os poucos convidados presentes não se encontravam quaisquer animais, assim como ninguém deglutiu a sua(s) fatia(s) de bolo com animalesca sofreguidão.
P.S.2
A perspicácia a que alude a imagem restringe-se meramente às doses q.b. de discernimento que permitiram a escolha do título para este post.
.

7 Comentários:


Blogger Maria P. disse...

27 aninhos, o menino Cláudio?
Então parabéns:)

12/06/06, 10:06  

Blogger Cláudio disse...

Obrigado Maria! Envio-te daqui uma fatia virtual do bolo...

12/06/06, 17:58  

Anonymous papoil@ disse...

Então parabéns!!!
Também queria uma fatia, mas já deve ter acabado...Que pena..

12/06/06, 18:43  

Blogger Cláudio disse...

Obrigado papoil@!

Bolos virtuais são virtualmente eternos e nem sequer precisam de conservantes para se manterem apetitosos. Então aqui vai uma fatia... and enjoy!

P.S. Isto pode parecer, mas não é o Batatoon!

12/06/06, 19:57  

Anonymous papoil@ disse...

Obrigada! Chegou um pouco amassada, mas valeu pela boa vontade...(hummm), se calhar foi só uma questão de boa educação...
Mas a do Batatoon não percebi... Explique lá como se eu fosse muito...

12/06/06, 21:33  

Blogger Cláudio disse...

Hummm... agora é que me queimei! O pessoal vai ficar a saber que eu, às vezes, calhava ver um pouquito do "Batatoon" (um programa infantil que dava à tarde na TVI). Mas pronto, vou contar tudo tintim por tintim.

O apresentador era o palhaço Batatinha. Um palhaço de carne e osso, cara pintada, nariz rubicundo e não um daqueles palhaços no sentido que às vezes se dá às pessoas engraçadinhas. Esta ressalva é só para distinguir entre palhaços que são apresentadores (que são poucos)e apresentadores que são palhaços (que são mais comuns).

A meio do programa havia sempre umas perguntas que o Batatinha fazia, às quais os telespectadores de palmo e meio podiam responder em directo via telefone. Se a criança desse a resposta correcta, esta recebia um prémio que o Batatinha simulava entregar directamente através da televisão. Depois perguntava à criança se o prémio já lá tinha chegado a casa.

Isto de enviar fatias de bolo virtuais fez-me lembrar um pouco o Batatoon, nesse sentido. É que, para completar o quadro só faltava mesmo perguntar às minhas queridas leitoras se elas realmente tinham recebido alguma coisa. A Papoil@ por acaso até adivinhou o meu pensamento e respondeu que o recebeu... amassado. Lamento o mau aspecto, mas o tráfego na net às vezes fica bastante congestionado.

Depois de toda esta explicação, até eu começo a pensar que me estava simplesmente a armar em engraçadinho e que me enterrei definitivamente com essa do Batatoon. Mas também há coisas piores no mundo, não é?

12/06/06, 23:43  

Anonymous papoil@ disse...

Muito agradecida pela explicação...que foi muito convincente. (Por acaso, não faz disso profissão?)
Não associei o envio virtual ao Batatoon, apesar de conhecer o formato.
Sabe, às vezes, sou um pouco "lerda"...
Quanto ao armar-se em engraçadinho, não acho..Precisamos de alguém com sentido de humor, neste Portugal, que está a ficar um pouco cinzento...

13/06/06, 00:11  

Enviar um comentário