quinta-feira, julho 20, 2006

Noites & ausências


I

A noite segreda a quem queira escutar
a palavra silêncio – o arame farpado
que rasga a carne em ansiosa fuga
em desolado abandono das trincheiras
onde fantasias ainda por formular
são enterradas vivas por morteiros.


II

Todas as noites às mesmas horas,
despia-se a casa dos acessórios,
desprendiam-se os quadros, as fotos,
tudo quanto era lembrança atávica,
para os poupar aos obuses da memória
que implodem com tudo até na arrecadação,
aí onde a tinta colorida dos dias amolece,
e a pasta viciosa rescende a desejo de posse,
a nudez insatisfeita em banho de escórias.


III

As paredes arrimam-se abrindo alas
ao sonâmbulo de braços erectos ao alto,
bússola norteando o rumo das noites
pelo vazio das casas inabitadas.


IV

Do lume brando sob os dias
o cansaço que não é de um só corpo;
as lentas macerações da alma incensória
com as florescências do mundo,
num derradeiro e verdadeiro luto
pela noite descida a meia-haste.


V

Anseio pelo gesto mínimo
pelo estritamente necessário
para dobrar o cabo da hora.


VI

Faróis da viatura Noite, carreira devoluta,
feixes de contemplação nas bermas sinistradas.

Como vim parar a este beco?
Trocou-me as voltas a noite?...


VII

O mar encapelado ordenava na dianteira
a frente de assalto às fragas da tua ausência,
os peões de um jogo sem consequência
revoluteando nas cristas das ondas
os estandartes com as quinas da dúvida:
se a espuma dissolvida reverteria
para a tua pálida figura.
.

4 Comentários:


Anonymous angi disse...

Parece que nas minhas voltas, nestes círculos perfeitos, se distinguiu um ponto, e venho sempre aqui ter. Parar um bocadinho para descansar a cabeça que se cansa do rodopio.

20/07/06, 00:57  

Blogger redonda disse...

Caramba, tu escreves mesmo bem!

20/07/06, 03:39  

Blogger Maria P. disse...

Muitos parabéns.

um beijinho.

20/07/06, 17:35  

Blogger Cláudio disse...

Obrigado Angi por, entre voltas e voltas à pista da blogosfera, parares aqui um bocadito nas boxes :)
P.S. Tens que me dar o teu mail, caso tenhas... há tanta coisa por dizer. O do Fábio já tenho e qualquer dia ele apanha um susto, perdão, um mail na caixa de correio ;)

Redonda e Maria P. obrigado amigas mas ainda não ganhei o prémio Nóbel... ;) Fico muito contente por apreciarem, até porque eu por regra duvido daquilo que escrevo e haver quem goste, nem que seja um pouco, funciona como incentivo para tentar melhorar...

Beijinhos.

21/07/06, 20:28  

Enviar um comentário