sábado, agosto 05, 2006

Errância


Das horas tardias em que o sol se punha e o vento levantava a poeira das veredas e sob os nossos passos arrefeciam as brasas do dia, continuo a recordar a plenitude dessa errância, sem que nada nos forçasse a tomar um desvio...

3 Comentários:


Anonymous anagwen disse...

Lindo!

05/08/06, 23:08  

Blogger Conceição Bernardino disse...

sabes bem o que dizes gostei bastante do teu blog e da forma como escreves.

ConceiçãoB

06/08/06, 01:39  

Blogger Cláudio disse...

Personagem sem rosto... humm, nem sempre sei bem o que digo... e nem sempre me contento em dizer apenas o que sei... ;)

Anagwen e Personagem sem rosto, sejam bem-vindas! Obrigado às duas. Voltem sempre que vos apetecer.

06/08/06, 05:26  

Enviar um comentário