quarta-feira, setembro 13, 2006

Eterno itinerante

.

Pablo Picasso, Family of Saltimbanques (1905)
.
.


Eterno itinerante
.
Quando chego, já em mim a náusea se revolve,
conduz-me pela trela à sua vontade,
incita-me a partir, proíbe-me de ficar.
Eterno itinerante, natural de parte nenhuma,
não avisto destinos nem fixo lugares.
.
2002

4 Comentários:


Blogger Maria P. disse...

Olá,
fiquei encantada com o teu comentário no blog do Fábio, sobre a Lua! Fantástico!

Beijinho:)

13/09/06, 20:01  

Blogger as velas ardem ate ao fim disse...

Só estou bem onde não estou...

bjos

13/09/06, 21:29  

Blogger Cláudio disse...

Maria P. Olá! O mérito é sobretudo do post do Fábio, que me deu inspiração para o comentário. Obrigado pelas tuas palavras! :)

as velas... nem mais! Dantes era muito assim, mas com a idade o nómada que ainda há em mim (mas que infelizemente dou poucas oportunidades de se libertar) tem-se revoltado menos, mas ainda assim diz das suas... Beijinho.

13/09/06, 22:01  

Blogger angi disse...

acredito que já tenha sido assim.

13/09/06, 23:46  

Enviar um comentário