sexta-feira, setembro 08, 2006

Karaoke


Nunca tinha assistido a uma noitada de karaoke. Gente linda, com ar jovem e saudável, bem-disposta, reunida num bar, com o simples desejo de passar alguns bons momentos. E foram muitas as vozes bonitas que pude ouvir. Bons momentos, portanto. Algumas mais desajeitadas, mas com espírito de entrega. E o que conta é mesmo isso: o desejo de participar, de partilhar algo de muito seu: a voz. E toda a voz é especial, porque é única, pessoal.
Tónica da noite: conversas, piadas, bebidas, cigarros, desafios para que a C. cantasse; olhos colados nos ecrãs, a acompanhar o desfile das letrinhas, e ouvidos alertas quanto à correspondência em termos de timing. Outras vezes olhávamos directamente para as pessoas que cantavam, deixando-nos fascinar pela variedade de expressões por que passa um rosto que canta. Por vezes havia o receio da pessoa se estatelar ao comprido, quando tentava ir por outras vias. Mas o canto é um acto de liberdade, suficientemente livre para encorajar novas soluções. E a pessoa, improvisando, lá se safava e saía por cima.
Muito obrigado a ti E. e a ti C. por esta noite tão linda!

3 Comentários:


Blogger angi disse...

gosto tanto de ler o q tu escreves.

08/09/06, 08:32  

Blogger Cláudio disse...

Tão querida! :) E eu gosto tanto que tu gostes. Nem imaginas o que significa para mim...

Beijinho!

08/09/06, 15:11  

Blogger Luís Namora disse...

Para mim então... Sinto que vou ficar enternecido para o resto dos meus dias.

09/09/06, 01:13  

Enviar um comentário