quarta-feira, setembro 20, 2006

Livro dos dias

.
No livro dos dias - hesito em chamar-lhe diário, dado que não é bem essa a ideia que tenho em mente - há folhas em que só me apetece intrometer um daqueles marcadores com belas citações (daquelas frases certeiras a dar conta da essência desse mesmo dia). Outras folhas pedem mesmo para serem escritas com letras garrafais e em cores garridas, quando o estilo, o ritmo da escrita e as palavras em si não bastam para atrair a atenção do que quero inolvidável. Do que quero bem à vista, assim que as desfolhe ou sempre que me sinta compelido a voltar a elas para me fortalecer.
.

3 Comentários:


Blogger Anagwen disse...

A memória dos teus dias contem uma certeza: nunca o vazio, nunca o fácil, nunca o descolorido... sobretudo nunca te faltam as palavras e as cores (garridas)... há vidas que merecem registo :)

21/09/06, 12:47  

Blogger cemremos disse...

E é tão bom escreVER!

21/09/06, 20:34  

Blogger Cláudio disse...

Obrigado, Anagwen... as tuas palavras mexeram comigo. Num dia tão descolorido, como este foi para mim, as tuas palavras ajudaram-me a afastar um pouco estas nuvens. :)

Semremos, é tão verdade o que dizes... ver e escrever complementam-se até no prazer que dão a quem a eles se dedica... Obrigado por teres atracado aqui :)

21/09/06, 23:15  

Enviar um comentário