terça-feira, setembro 26, 2006

No meu quarto


Michael Weber, A New Handle on Things



A felicidade espreita-me da fechadura da porta. Sabe que não a posso abrir e escarnece de mim. Observa o meu vaivém de parede a parede, como quem vai preso a uma mola interna que se estica e se comprime. A angústia tem-na esticado particularmente bem ao longo dos dias.

2 Comentários:


Blogger angi disse...

pelo menos não tens uma parede à frente. E com fechadura e tudo. É uma porta, alguma coisa deve querer dizer. Já agora, tem maçaneta ou é como a da tua casa de banho? ;)

27/09/06, 02:31  

Blogger Cláudio disse...

És tão perspicaz, que até faz impressão :) Abres as portas todas daquilo que escrevo. Mil vezes uma porta que o raio de uma parede, assiste-te toda a razão. O problema é encontrar a chave e saber se a chave está em nós (mas sempre é mais fácil do que encontrar um martelo pneumático com que rachar a parede). Enquanto não tiver resposta para isso, posso sempre ir-me aproximando sorrateiramente da fechadura e surpreender a felicidade com olhos nos olhos.

A maçaneta da casa de banho gosta tanto de cumprimentar as visitas, que dificilmente lhes larga as mãos. É daquelas que não desgrudam num bom aperto de mão... fica é sujeita a cair no chão, como quem se sente largado :)

27/09/06, 04:54  

Enviar um comentário