terça-feira, setembro 26, 2006

O aperto do nó


Como desapertar um nó que nos aperta a garganta, se tudo e todos em nosso redor se põem aos gritos mal reparem que dissimuladamente o tentamos desfazer?

4 Comentários:


Blogger Esteva disse...

Gritando ainda mais alto.

26/09/06, 23:54  

Blogger Cláudio disse...

Não gosto de fazer uso da minha voz, mas de vez em quando lá calha. Se gritar mais alto implicar ganhar o respeito dos outros pelas nossas escolhas... Será que tem mesmo de ser assim? Tenho a certeza que não. Prefiro optar por fortalecer as minhas convicções com argumentos que venham mesmo de mim, nos quais acredito e confio, para poder agarrar-me àquilo que quero fazer e defendê-lo de forma capaz. Sem gritos, que estes nada resolvem. Apenas incitam a que os outros nos devolvam os gritos ainda mais altos.

Bem-vinda Esteva... há que tempos... :)

27/09/06, 01:34  

Blogger angi disse...

Sabes a tua innner voice?, aquela que sai quando eu em choro só sei pousar a cabeça no teu colito amigo, e ficar muito caladinha a ouvir? Essa é a voz mais bonita que eu conheço. Todos os que desafinam acabam por se deixar ficar a ouvir quem os embala. Os que dançam fazem roda à volta dos bailarinos e batem palmas... Se a fizeres ouvir, docemente, como tu és, vais ver que os gritos deixam de ser tão sonantes. Não podes é envergonhar-te depois da beleza da tua própria voz quando todos se calarem. No fundo acho que é isso que toda a gente quer: ouvir-te cantar. Mostra que esta letra sabes de cor e salteado, e vai poupando a voz para isto, que é preciso. Meu querido. Beijinho.

27/09/06, 02:26  

Blogger Cláudio disse...

Angi, minha querida amiga, para te responder como deve ser, fica para mais logo. Para já digo que te adoro e pronto. Beijinho. Isto não fica assim ;)

27/09/06, 05:27  

Enviar um comentário