domingo, outubro 22, 2006

Estrelitas

.
Sempre precisei de astros, luas, sóis e estrelas que me guiassem por entre turbilhões. Agora delineio a minha rota segundo um astro só. Seu brilho atravessa todas as distâncias e diz-me de si o que anseio por saber. A atenção prestada ao céu recompensou-me como nunca pensei. Passadas as intempéries, aportei ao cais de um novo mundo. Radioso, franqueou-me as suas portas. Enriqueci, sem gula nem avarezas, e um raio de luz na minha vida, uma onda de calor foi quanto bastou. Sigo-as por todo o lado, assim como elas seguem comigo.
.

1 Comentários:


Anonymous Ana disse...

Post muito interessante...como já é hábito.
Mas fiquei um pouco confusa. Há duas interpretações?
Ou são simplesmente as comestíveis?
Beijinhos
Ana

24/10/06, 01:45  

Enviar um comentário