domingo, novembro 19, 2006

Nem aero-transportado...

.

.
Se já não o soubesse... hoje, particularmente hoje, sinto que os arco-íris jamais poderão ser alcançados por qualquer engenho detentor de asas, sejam aviões ou caças. Estes últimos, apesar de serem mais determinados, também falham. Pessoas aladas, para quem acreditar em anjos, também não chegam lá.
.

7 Comentários:


Blogger .*.Magia.*. disse...

Gosto do verbo apetecer...

Por isso apeteceu-me entrar aqui...!

Poderia dizer-te muitas coisas, mas não me apetece...vou dizer-te que gosto da foto, e também te digo que gostei das palavras...

Apetece-me dizer-te que se me apetecer posso ser um arco iris...basta fechar os olhos e sonhar com isso!

"Apeteceu-me" (adoro esta expressão, e uso-a vezes sem conta!)

Apeteceu-me dizer-te, porque me apeteceu que soubesses que vim dali, da Casa de Maio...foi através da porta dela que vi que te apetecia um blog e um comentário...!

Aqui tens o comentário...

Cheers

Cheers

21/11/06, 15:57  

Blogger Maria P. disse...

Grata por sempre te apetecer visitar a Casa de Maio.

Beijinho.

21/11/06, 22:28  

Blogger magarça disse...

E os duendes, não saberão eles do início e do fim do arco-íris?

22/11/06, 00:02  

Blogger Paula disse...

Se fechares os olhos consegues lá chegar... se quiseres dou-te boleia na minha cápsula interespacial... :-)

22/11/06, 21:41  

Blogger musalia disse...

há arco-íris presos num sorriso...
:)

24/11/06, 22:14  

Blogger Cláudio disse...

Bem... nem sei bem por onde começar... :) Começo por dizer que fiquei muito contente por vos ter apetecido comentar-me. Não é todos os dias que sou alvo de tanta atenção feminina :)

Magia: obrigado por te ter apetecido seguir o link até aqui, obrigado pelas tuas bonitas palavras. Sempre que me sentir perder o elemento mágico que há no olhar e no sentir, vou querer lembrar-me delas: "se me apetecer posso ser um arco iris...basta fechar os olhos e sonhar com isso!"

Maria P., tenho tido menos tempo para navegações cibernéticas, mas tanto quanto possível não me esqueço do caminho que vai dar à tua casa. Beijinhos.

Magarça: és capaz de ter razão... Quem sabe se os duendes não são aqueles habitantes que vivem nas terrolas onde assentam os limites do arco? Quando me sentir pequenino, talvez me seja mais fácil ser confundido com um deles... vou tentar seguir um, a ver se sou conduzido até lá... isto caso encontre algum, o que equivale a dizer que posso esperar sentado; se estiver numa floresta, "à procura", mais vale arranjar uma boa quantidade de musgo para "almofadar" um cepo qualquer onde me possa sentar e esperar com mais comodidade)... mas dizia eu, pode ser que me seja mais fácil infiltrar-me no meio deles e dar de caras com o arco...

Paula: aceito a boleia, mas também fecho os olhos... é que não sei como é que és a conduzir... :) Gostei muito de te ver por aqui, minha amiga. Já reparei que tens um novo blog e gostei :) Beijinhos.

Musalia: sem dúvida! Estás coberta de razão. Sorrisos que cobrem quase todo o espectro de cores. (Disse "quase" porque geralmente ninguém gosta dos "amarelos".) Sorrisos que não se sabe onde começam e onde acabam. Sorrisos luminosos que lentamente se acendem, como um arco-íris, num rosto que ainda há pouco derramava algumas lágrimas, um rosto que se apercebe da sorte de poder olhar fundo num outro e que se abre como o céu depois da chuva. Sorrisos que nos fazem sonhar com o "over the rainbow"...

25/11/06, 05:07  

Blogger angi disse...

ás vezes apetece-me (lá está, tb gosto) comentar-te só para que venhas comentar o comentário. :)

26/11/06, 00:53  

Enviar um comentário