domingo, dezembro 31, 2006

Devaneios sobre passas (nada a ver com charros, se bem que o teor do post...)

.
.
Por falar em crenças, tradições e desejos... Se houvesse um Pai Natal para o dia do Réveillon, quem é que seria? Quem seria, quem seria? Quem receberia a nossa lista de desejos no Réveillon? (se bem que depois não se pudesse fixar uma data para a entrega e o desejo, supostamente realizado, muito menos nos seria entregue às mãos ou deposto sob a árvore de Natal... Ah pois é! Cada qual tem que ir atrás dos seus para os receber e merecer, a menos que um ou outro lhe caia dos céus...)
Resposta a medo: o Pai Natal do Réveillon é... o génio da lâmpada mágica... Bingo! acertou! Sim, de facto é mesmo ele. (Na verdade, apetece-me que seja mesmo ele). Uma vez por ano, todos os anos, por breves segundos, o génio da lâmpada mágica dá-se ares de uma dodecadeidade ubíqua. Dá-se literalmente ares: excepcionalmente, sem precisar de esfregadela, é vê-lo escapulir-se da sua lampadazinha, como Deus saindo do seu paraisozinho, ou Lúcifer saindo do seu infernozinho, para depois volatilizar-se e repartir-se por todas as doze passas desse mundo fora.
Porquê Deus? E porquê Lúcifer? Começo pelo segundo (maus da fita, primeiros) - se bem que a Lúcifer agrade o seu inferno, o mesmo não sucede no caso do génio (que consiste na triste vida de recluso que leva no interior da lâmpada), daí que não se importe nada com um passeio extravagante ao interior húmido e cavernoso de inúmeros aparelhos digestivos, a bordo de milhões de resquícios de passas trituradas e em liquefacção. Sim, o génio da lâmpada é omnipotente e resiste a tudo: à mastigação, à trituração, à deglutição, aos sucos digestivos... Quanto à referência a Deus, além da dodecadeidade ubíqua e da omnipotência de que já falei, há aqui um paralelo com a promessa de um paraíso póstumo, de um mundo de recompensas para os justos - neste caso, a promessa dos desejos por realizar, (mas não postumamente, claro). É a dilação. As coisas que venham parar às nossas mãos. Sonhar, desejar, crer... é fácil e por isso tão bom. E crentes não faltam. Creio eu...
.

5 Comentários:


Blogger AnaG. disse...

Antes de ter o meu (humilde) blogue, passei por aqui muitas vezes e fui deixando o meu comentário.
Depois....bem,...por qualquer mal-entendido, deixei de o fazer.
Mas ao terminar o ano, não quis deixar de dizer que gosto do que escreves, gosto de te ler e gosto do teu canto.
Um Novo Ano com tudo o que desejas,incluindo a tolerância e a solidariedade.
Beijinho
Ana

31/12/06, 11:30  

Blogger Maria P. disse...

Venho deixar o meu último beijo de 2006!

Até amanhã em 2007!

Beijinho:)

31/12/06, 17:10  

Blogger Anagwen disse...

De quem espreita e te lê sempre, os desejos de um novo ano cheiinho de motivos para rir e sorrir!
Um beijo :)

31/12/06, 19:26  

Blogger magarça disse...

Eu deixei de acreditar no génio da lâmpada quando quase morria sufocada com uma passa...

01/01/07, 19:49  

Blogger Cláudio disse...

Ana G., espero que tenhas recebido o meu mail. Da minha parte nunca houve mal-entendido, acredita. És sempre bem-vinda ao meu cantinho. Desejo tudo de bom para ti neste novo ano que agora começa. Beijinho.

Maria P. obrigado pelo beijinho do ano passado, pelas tuas visitas, pelas tuas palavras. Beijinho para ti, já deste ano de 2007.

Obrigado Anagwen! Para começar bem, retribuo-te já com um big smile tudo quanto desejas para mim este ano. Espero ter no final de 2007 o meu Gmail cheiinho daqueles teus mails que exercem sobre mim um verdadeiro efeito magnético, de quem com um sorriso pede sempre por mais e mais linhas... Beijinho de quem também te espreita e lê sempre :)

Magarça: e eu ainda por cima venho pr'àqui sugerir sultanas... Então isso quer dizer que não houve passas este ano, nem nos anteriores? Sendo assim, a quem é que diriges os teus desejos de Réveillon? Terei que reformular toda a minha teoria tresloucada sobre o génio da lâmpada?...

02/01/07, 17:35  

Enviar um comentário