segunda-feira, março 19, 2007

Travelings

.
A troca de olhares com uma pessoa desconhecida é, no estado de vigília, um dos fenómenos oníricos por excelência. Além dos nossos devaneios, das nossas prospecções temporárias por mundos possíveis e ideais, demoramo-nos a escrutinar os sinais que transparecem do rosto da outra pessoa, a tentar perceber se há ou não correspondência com os nossos. E frequentes vezes desejamos mesmo que haja, o que também cai na categoria do onírico. Mais raro é crermos realmente nisso, mas esta é uma atitude que destoa nessas circunstâncias e fazemos por adiar essa realidade até ao máximo. Porém, irremediavelmente, acabamos por acordar.
.

1 Comentários:


Blogger cas disse...

e quando acordamos a "coisa" acaba por perder o encanto.

21/03/07, 22:43  

Enviar um comentário