terça-feira, agosto 05, 2008

Outsider

.
Sinalefa mental de quem veio de longe, de quem se viu arrancado do berço. Apesar do rápido aprendizado linguístico, as suas palavras eram outras - continuava a falar estrangeiro. Pior: soava estranho. E em resposta: um mínimo de palavras... com que levou em diante o esforço de entender o desdém que lhe ganharam as gentes da terra a que aportou.
.

4 Comentários:


Blogger RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

08/08/08, 23:27  

Blogger Paula disse...

Nunca sabemos em que universo vive aquele para quem falamos e os outros não conhecem o nosso universo... Será que alteraria alguma coisa se todos fóssemos sinceros?

Um beijo

03/09/08, 19:28  

Anonymous André Couto disse...

Como por faz sofrer a incompreensão alheia... Como custa o desprezo pelo esforço de ser mais. Afinal qual o propósito de sermos salientes quando essa saliência não traz reconhecimento, só dor... Será que é suficiente a vaidade e satisfação pessoais?
Penso que não. Por vezes, ainda que muito de longe a longe, recebemos um curto e tímido olhar onde podemos decifrar admiração. Nesse instante sentimo-nos mais, e não a mais...

04/09/08, 18:23  

Blogger BAR DO BARDO disse...

ai, saudades de um certo sebastianismo caboclo...

21/02/09, 14:21  

Enviar um comentário