sexta-feira, junho 23, 2006

A ciclópica Enciclopédia da Mente (3)

.



O tomo 3 da ciclópica Enciclopédia da Mente vê finalmente a luz do dia. (Clique para aceder aos tomos anteriores: nº1 , nº2 , nº4).

Tomo 3: Solidão & novas ofertas de emprego para esta era moderna.

Quantas depressões não estão directa ou indirectamente relacionadas com a solidão? Não acho que seja exagerado afirmar que um dos passos para tornar as coisas mais fáceis seria começar por erradicar o flagelo da solidão. A família, os amigos, as saídas, os livros, os filmes, a música, a internet, a televisão (vá de retro Satanás!... do que me fui lembrar) fazem o que podem. Os hábitos de vida, a preguiça, e uma miríade de outros factores fazem com que nem todos tenham a sorte, o discernimento ou a vontade anímica (etc.) de recorrer a eles, daí que o flagelo pareça estar para durar.

Todos aqueles que lêem jornais, ou que pelo menos os desfolham, já se terão cruzado com a secção dos anúncios. A par dos diversificados tipos de serviços de recreação e relaxamento corporal, sofisticados acompanhamentos, massagens várias, aconselhamentos psicológicos e astrológicos que aí se publicitam, será que qualquer dia ainda nos vamos deparar, nessa secção, com coisas tão disparatadas como estas de que me fui lembrar:


Domesticador(a) mental precisa-se ! ”;

Precisa-se de humorista adepto da filosofia take it easy ! ”.


Não resisto a traçar, ainda que de forma dispersa, algumas das habilitações requeridas e os objectivos a atingir:

- algum know-how na lida com sistemas operativos complexos (mais complexidade gera sempre mais incongruência, a exemplificá-lo temos o cérebro humano, daí a preferência por algum tipo de especialização na área);

- apoio técnico em caso de shut down, bloqueios mentais, ciclos viciosos, intrusões e infecções víricas (certos pensamentos exógenos são tão ou mais devastadores como certos vírus) e de certos estados de alma (apatias, prostrações...);

- capacidade de estimular a actividade cerebral alheia, sem recorrer a eléctrodos (técnica um bocado démodé);

- boa disposição, optimismo contagiante, sentido de humor, iniciativa e muita paciência (os utensílios da praxe);

- estofo ultra-absorvente para fazer de travesseiro nas alturas de choro convulsivo (por precaução: trazer sempre de casa um pacote de lenços de papel);

- basta o 1º ano em FilosofiaTake it easy”, mas é essencial ter transitado às cadeiras: “Amanhã é outro dia”, “Só se vive uma vez”, "O riso é o elixir da vida" ;

- ter participado uma ou duas vezes num concurso local de anedotas (o perfil desejado exclui logo à partida os que tenham participado no “Levanta-te e Ri”);

- saber diversificar o arsenal de anedotas (há um limite para o número de anedotas brejeiras que uma mente, saudável ou não, pode suportar);


Facultativo:

- conhecimentos especiais em adestramento de animais de circo (isto porque costuma agradar à mente mostrar as suas garras afiadas e pensem só nos riscos que daí decorrem...), ou de outro tipo de experiência circense (contudo, dispensam-se o nariz batatudo, as pinturas foleiras e as gargalhadas estridentes);
- curso de animação social;
- conhecimentos, ainda que supérfluos, sobre literatura de auto-ajuda, hermética ou espiritual;


Importantíssimo
:


- saber brincar com coisas sérias (com mais tacto do que o teor deste post revela)

.

5 Comentários:


Blogger redonda disse...

Gostei muito das habilitações requeridas e objectivos a atingir, mas não deve ser nada fácil arranjar alguém qualificado... :)

23/06/06, 20:19  

Blogger Maria P. disse...

Bom fim de semana, amigo.
beijinho

24/06/06, 09:31  

Anonymous papoil@ disse...

Estava eu, toda contente, a ler as habilitações requeridas e os ojectivos a atingir, pensando:-Desta é que é...
Mas esbarrei com o "Importantíssimo:" e lá se foram as ilusões...

24/06/06, 18:16  

Anonymous papoil@ disse...

É claro que queria escrever "objectivos"...sorry

24/06/06, 18:18  

Blogger Cláudio disse...

Ainda alimentei algumas vãs esperanças de que alguém se sentisse habilitado e se oferecesse para esta oferta de emprego... :)

Na verdade, um pedido dissimulado sob a forma de post ou um post que é um pedido dissimulado... Mas realmente coloquei a fasquia muito alta.

Já só peço muito encarecidamente (e todo salamaleques)que continuem a comentar os meus posts e a prendarem-me com a vossa boa-disposição, que já me dou por muito muito satisfeito.

:)

25/06/06, 22:26  

Enviar um comentário